quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Mobiliário de Ruy A. Pereira Jr.(Estilo Português)


Mobiliário de Estilo Português ( Colonial Brasileiro ) de Ruy Antunes Pereira Jr.

Digo que o que vi alguns autores publicar como estilo próprio brasileiro, para mim nada mais é do que o estilo português com algumas modificações, adaptados ao país, neste momento de acordo com meu conhecimento, que com certeza tem suas limitações, não concordo com um estilo brasileiro de mobiliário, neste período.Concordo com os autores que acreditam que clamar um estilo colonial brasileiro “seja muito forçado”,mesmo sendo um ato de patriotismo,de valorização a nossa criação, essa afirmação denota uma falsa individualidade já que a criação de um estilo vai muito além do que leves transformações.

Antes de começarmos os estilos franceses, quis vislumbrar um pouco mais o nosso jardim, ver o por do sol na frente da nossa casa, apreciar tudo o que nos é oferecido. Às vezes apreciamos o que está distante, mas quando olhamos para o nosso lado começamos a ver todo o belo que nos cerca, que esta ao nosso alcance.

Sou do RJ, cidade que amo muito, hoje, porém estou numa cidade do interior do Nordeste, onde as pessoas me acolhem com muito carinho, diferente do meu Rio; clima, paisagem, valores, arquitetura, alimentação, cores, amigos, tudo difere e não há o que é certo ou que é errado nesse meio, não há uma região melhor ou pior, há o conhecimento e a singularidade de cada localidade dentro do nosso imenso país. Vamos olhar o que nós é oferecido.

A cidade que estou chama-se Ceará – Mirim cidade da cana de açúcar e de muitos engenhos, alguns ainda existem e o que é melhor em plena atividade, um passado de tradição que ainda não foi todo perdido, cidade conhecida como o “Vale”.
Assim como toda região, o “Vale” de ares aristocráticos tem seus mitos, ídolos e seus heróis, aqui conheço Ruy Pereira, chamado pelos moradores não de “DOUTOR” como é interessante ver nas pequenas cidades, pessoas com cursos técnicos ou mortais bacharéis, assim como eu, exigirem serem chamados de “DOUTOR fulano de tal”; por uma população menos favorecida. É cômico, mas acredite, existe! Ruy Pereira tem a sensibilidade de querer ser chamado por todos pelo carinhoso nome de Ruyzinho, homem que acumula em sua história um passado próspero e fidalgo da cidade, acumula em seu sangue, em suas lembranças, em seu engenho, em sua casa grande, afinal em todas as suas propriedades, muitas delas doadas para servirem hoje de prédios públicos para a cidade, todo um passado coletivo, passado público, passado de menino de engenho parecido com esse que lemos em Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre que muitas vezes achamos tão utópico, por ser “tão passado”.
É maravilhoso conhecer alguém assim, ver como traço presente em sua vida o afeto que este tem pelo seu povo, a resistência às transformações de seus valores que vem com todo seu passado histórico. Ruy descende de famílias que fizeram parte da aristocracia do açúcar, dos senhores de engenho que assistiram o começo da queda deste sistema com o fim da escravidão e a chegada das usinas como representantes da industrialização na produção....

- Me empolguei, mas acho tudo isso muito mais rico do que simplesmente conhecer alguém que hoje galga grandes cargos, porém não carrega toda essa tradição. Isso é história, aliás, é bem mais, é um patrimônio histórico... Patrimônio em todas essas lembranças mas o patrimônio que vamos falar aqui esta no mobiliário, fugi falando de uma pessoa querida um pouco do tema “DECORAÇÃO”,mas não fugi da arte e com muito carinho vou apresentar a vocês um pouco do mobiliário colonial do Ruyzinho e Leyse (sua esposa), que utilizam hoje em sua casa de praia,os móveis que trouxeram da Casa Grande.Espero que vocês gostem,aliás espero que amem,porque são lindos...
Sendo assim vemos que prédios públicos, institutos e um sem fim de casas particulares, como esta, são elementos preciosíssimos de criações que demonstram épocas e estilos, conhecimentos técnicos, estudo de detalhes e de proporções.

Os móveis aqui mostrados são de estilo Português que sofreram influência francesas de Luís XIV e XV.
A madeira sempre de qualidade, confere a beleza incomparável.
A cadeira no estilo D. João V com influência de Luís XIV de aparência sólida, espaldar alto, revestida de couro lavrado, com os pés retos ligados por travessas.

























































Mesinha console com pernas torneadas,
características do séc. XVIII.














5 comentários:

alda disse...

sylvana vc esta linda nesta foto,Parabéns... bjoxs*/*

alda disse...

Sylvan parabéns esta foto ficou linda,bjoxs

alda disse...

ficou linda esta foto amiga,adorei as decorações,tudo muito lindo.bjoxs e boa sorte

Gorette disse...

Parabéns pelo Blog. Muito rico em informação e beleza.
Beijos e boa sorte!

Augusta disse...

Syl,amiga,amei seu blog!Parabéns ficou ótimo e de muito bom gosto.Tb adimiro antiguidades,enrriquece minha alma e satisfaz os meus olhos!Boa sorte sempre pra vc!Já sei quem procurar qdo precisar!"VC".Bjão.